A organização internacional é a responsável pelo controle financeiro do mercado mundial. Pertence à Organização das Nações Unidas (ONU) e administra as taxas de câmbios da balança de pagamentos. O intuito da agência é fazer empréstimos aos países que estão com baixa renda, para diminuir a pobreza. Dessa forma, promove a estabilidade, a fim de dinamizar o comércio. A sede do FMI é na capital dos Estados Unidos, Washington D. C.

Os Estados Unidos e as demais potências, aliadas na Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), reuniram-se e, em 1944, criaram o Fundo Monetário Internacional – FMI. Porém, nem todas as nações se uniram à agência e fazem parte da lista de empréstimos da organização; são mais de 180 países, os membros da Organização das Nações Unidas, exceto os socialistas como Cuba e Coreia do Norte.

Para que haja empréstimo, uma cúpula de governadores deve autorizar a ação. A Assembleia dos Governadores é a entidade máxima do FMI. E é constituída por um representante de cada país, normalmente ministros da economia ou presidente do banco central e um suplente. São 24 membros ao todo e dois comitês assistem a assembleia, o Comitê Interino e o Comitê de Desenvolvimento.

Outro departamento é a Diretoria Executiva. Essa, entra em discussão a respeito da situação econômica dos países membros e procuram resolver tais problemas. Oito dos 24 membros possuem suas cadeiras permanentes: os Estados Unidos, a Alemanha, o Japão, a França, o Reino Unido, a China, a Rússia e a Arábia Saudita.

Existem diferentes formas do FMI conceder empréstimos, entre elas o Stand by agreement (SBA). Esse sistema é feito para os países de média renda e promove diversos benefícios. A condição de concessão de dinheiro se dá de acordo com a capacidade de cada nação, se consegue pagar ou não, e a forma de investimento dos recursos do Fundo Monetário Internacional. A duração desse contrato dura entre 12 e 24 meses.

Segundo algumas cláusulas do acordo Stand by, o FMI pode conceder limites de crédito para certos países de até 200% do valor da cotas. Existem casos em que esse percentual atinge 600% nas negociações em aberto. Nesses, é chamado de Acesso Normal. A organização internacional também pode autorizar empréstimos excepcionais: casos que passam por uma avaliação mais rígida da Diretoria Executiva.

O Acesso Concentrado concede o recurso financeiro no inicio do período, quando o acordo entra em vigor; porém, o beneficiado precisa ter sua proposta bem fundamentada. Os elementos que contribuem para a rigidez dos argumentos são: uma boa política e o motivo pelo qual precisa do financiamento. Usado bastante em crises econômicas, assim como o acesso excepcional, o acesso rápido consiste na aprovação rápida de crédito.

Como estratégia de prevenção, há uma concessão chamada de Acesso em caráter prévio. Nessa opção, o país não deseja fazer o saque da quantia aprovada, mas deixa para fazer quando for preciso - no caso de alguns países durante a recessão.

Além disso, o Fundo Monetário Internacional possui outras formas de financiamento. O Exogenous Shocks Facility ou Programa de Contenção de choques externos (ESF), para os casos de choques externos. Os países membros podem pedi-lo mediante um Plano de Assistência Emergencial. De três a cinco anos, a Extended Fund Facility ou Programa de Financiamento Ampliado (EFF) é usado nas nações que se deparam com problemas na estrutura das balanças de pagamentos.

Para casos como o da Argentina, que perdeu a confiança do Fundo Monetário, há alguns anos quando decidiu atrasar os pagamentos à Organização Mundial por causa de uma grande crise financeira, existe o Programa de Reserva Suplementar (SRF); esse, cobra juros de 2,2% acrescido de uma taxa que atinge de 2 a 3%.

Os países pobres recebem benefícios com o Programa de Financiamento para Redução da Pobreza e Desenvolvimento (PRGF); eles devem apresentar um plano de erradicação da pobreza. Quem é contemplado, tem o prazo entre cinco e dez anos para pagar a dívida, com 0,5% de juros ao ano. Já em relação às catástrofes naturais ou conflitos militares existe a Assistência Emergencial.